domingo, 10 de junho de 2018

Corinthians erra muito, perde chances e empata com o Vitória

O Corinthians mais uma vez não conseguiu mostrar sua força dentro de casa. 

Depois de sofrer para criar no primeiro tempo diante de um adversário bastante confortável no gramado da Arena, o Alvinegro viu o Vitória claramente cansar no segundo tempo e dar bastante espaço. Ainda assim, perdendo chances e não conseguindo aproveitar o apoio da torcida, o Timão acabou empatando por 0 a 0 com os baianos na noite deste sábado.

O resultado, péssimo para os corintianos, deixa a equipe com 16 pontos, podendo ficar dez atrás do líder Flamengo ao final da rodada. Foi também o terceiro jogo como mandante que o clube não conseguiu ganhar, o segundo contra clubes que lutam contra o rebaixamento (Ceará e Vitória). Do outro lado, plenamente satisfeito, o time de Salvador chega a 12, fora da zona de rebaixamento.

Agora, os comandados de Osmar Loss fecham a série pré-Copa do Mundo diante do Bahia, na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), na Fonte Nova, em Salvador. Do outro lado, Vagner Mancini e sua trupe seguem na capital paulista, mas dessa vez para encarar o São Paulo, na terça, às 21h30 (de Brasília), no estádio do Morumbi.

Jogo equilibrado, chances desperdiçadas

O duelo na fria Arena Corinthians começou quente, com muitas divididas e lançamentos longos para os rápidos ataques dos dois lados. Pedrinho foi o mais acionado entre os alvinegros, levando vantagem em quase todos os lances nos quais partiu no mano a mano com Jeferson. Quando houve ajuda de alguns volantes e ele foi desarmado, porém, os visitantes conseguiram levar perigo nos contra-ataques.

O primeiro lance digno de nota foi do time baiano, quando Wallyson chutou forte da entrada da área e Walter espalmou para o lado. A resposta corintiana veio em uma rara subida de Sidcley, que começou o lance e, após belo cruzamento de Pedrinho, apareceu livre dentro da área para cabecear. A bola quicou e bateu na trave direita do goleiro Elias, que só acompanhou enquanto a redonda corria à frente da linha e saía para a lateral.

Os forasteiros, no entanto, não pareceram se assustar com a melhora dos corintianos. Em uma jogada trabalhada de escanteio curto, Wallyson cruzou a bola na segunda trave, bastante alta e lenta, Walter não saiu e Aderllan ganhou com sobras de Mantuan. O zagueiro testou para o meio da área e Ramon, sem marcação, tentou um voleio, mandando a bola por cima do gol.

Pouco depois desse lance, ocorrido aos 30 minutos, o jogo passou a ficar muito travado. Pelo menos três jogadores do Vitória caíram no chão pedindo atendimento por choques em disputas aéreas, sendo o último deles o goleiro Elias, revoltando todo o time corintiano por achar que se tratava de “cera” do arqueiro. O jogo, no entanto, seguiu inalterado até o intervalo.

Corinthians “abafa”, mas não marca

O Alvinegro voltou para o segundo tempo sem modificações, mas contou com um retorno abaixo daquela intensidade do adversário. Sem conseguir a mesma pressão na marcação, os baianos deram espaço e viram logo aos oito minutos Roger receber bola improvável dentro da grande área. O centroavante ajeitou o corpo e chutou cruzado, mas foi travado em cima da hora por Kanu, mandando para longe.

O jogo tornou-se mais para o Alvinegro, que não sabia utilizar o espaço deixado pelo adversário, mas conseguiu manter pressão sobre os baianos. Em lance parecido com o de Roger, Mateus Vital também recebeu à frente da zaga e ajeitou o corpo para bater de chapa, no canto direito de Elias. A demora, no entanto, foi o bastante para que Lucas Marques conseguisse se recuperar e desviasse o lance. A bola ia entrando, mas Aderllan tirou em cima da linha.

Osmar Loss tentou dar mais profundidade ao seu time com Marquinhos Gabriel na vaga de Mateus Vital. O canhoto, por sinal, entrou bem e conseguiu construir bons lances pela esquerda, fazendo boa dupla com Sidcley. Em lindo lance do lateral na linha de fundo, ele conseguiu descolar bom drible para cima da marcação e rolou para trás. Roger não entendeu o lance, Vital chegou atrasado e abriu para Pedrinho, que cortou para a direita e chutou muito mal, por cima do gol.

Loss partiu para cima com Sheik e o estreante Matheus Matias, tentando rondar a área do Vitória, que, àquela altura, rezava pelo final da partida. Na base da pressão, Henrique ainda teve duas chances de finalizar dentro da grande área, mas acabou travado pela zaga em ambas ocasiões, sem conseguir o gol.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 0 X 0 VITÓRIA


Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 9 de junho de 2018, sábado
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Público: 27;744 pagantes
Renda: R$ 1.212.745,36
Cartões amarelos: Gabriel, Sidcley (Corinthians); Kanu, Wallyson (Vitória)

CORINTHIANS: Walter; Mantuan, Pedro Henrique, Henrique e Sidcley; Gabriel (Emerson Sheik), Maycon, Pedrinho, Rodriguinho e Mateus Vital (Marquinhos Gabriel); Roger (Matheus Matias)
Técnico: Osmar Loss

VITÓRIA: Elias; Cedric, Kanu, Aderllan e Jeferson; Ramon (Rodrigo Andrade), Lucas Marques (Bruno Bispo), Neílton, Rhayner e Wallyson; André Lima (Yago)
Técnico: Vagner Mancini

Com informações da Gazeta Esportiva.

.texto

Nenhum comentário: