quinta-feira, 17 de maio de 2018

Furacão não acaba com jejum e perde para o Cruzeiro

Chegando um jejum de sete partidas sem saber o que é um resultado positivo, o Atlético Paranaense perdeu para o Cruzeiro por 2 a 1, com um gol nas acréscimos, na Arena da Baixada, e saiu atrás no duelo válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil 2018. Com o resultado, o Rubro-Negro vai a Minas Gerais precisando de uma vitória para seguir na competição.

Depois de sofrer por quase todo o primeiro tempo, o Furacão conseguiu abrir o placar aos 41 minutos, com Carleto cobrando falta com força para acabar com a invencibilidade de cinco jogos de Fábio. Depois do intervalo, Henrique, de longe, aos 34 minutos, deixou tudo igual. Raniel, nos acréscimos, decretou a virada.

As duas equipes voltam a se encontrar para o jogo da volta, no Mineirão, em Belo Horizonte, apenas no dia 16 de julho.

O jogo – Sem contar com sua torcida, com a exceção de um grupo que conseguiu entrar no estádio com as camisas escondidas, a Raposa começou a partida pressionando os donos da casa. Aos três minutos, Robinho fez a jogada e cruzou fechado para a defesa atleticana afastar. Aos seis, Rafinha passou como quis por Rosseto e arriscou o chute por cima da meta.

O Furacão apareceu pela primeira vez com algum período aos 13 minutos, com Rosseto, que chutou forte para ótima defesa de Fábio. O Rubro-Negro tentava sair um pouco mais para o jogo para equilibrar as ações, mas se mostrava nervoso em campo. Aos 23 minutos, contra-ataque mineiro que a defesa atleticana conseguiu tirar dos pés de Arrascaeta, mas entregou para Sassá, travado na hora certa por Carleto.

Mais Cruzeiro no ataque, aos 26 minutos, com Sassá subindo na área para testar pela linha de fundo, com perigo. Arrascaeta mandou um chute venenoso, aos 33 minutos, e Santos tocou para escanteio e salvou. Na resposta, aos 38 minutos, levantamento para Thiago Heleno, que subiu pressionado e tocou para fora, com desvio no braço de Dedé que o árbitro considerou normal. Mas, aos 41 minutos, Carleto cobrou falta com força e estufou a rede para abrir o placar.

Para a etapa final, as equipes voltaram sem modificações. Aos três minutos, cobrança de escanteio na medida e Pablo desviou para fora, com algum perigo ao gol de Fábio. O Rubro-Negro voltou mais ligado após o intervalo, mas ainda tinha dificuldade para criar no campo de ataque. Aos 11 minutos, cruzamento para Sassá na pequena área e o cruzeirense conseguiu jogar para fora.

O Cruzeiro seguia com maior posse de bola, mas encontrava uma marcação forte e já não criava com a mesma facilidade. Com uma lesão no ombro, Rapahel Veiga precisou sair do jogo para a entrada do Matheus Anjos e deve ser desfalque par aos próximos jogos do Furacão. Aos 25 minutos, mais um levantamento na área atleticana e Raniel não conseguiu alcançar a bola.

Mano tentava colocar o time à frente, mas a defesa do Furacão se portava muito bem na partida. Mas, aos 34 minutos, Henrique chutou de longe, a bola desviou em Thiago Heleno e morreu no fundo da rede. Aos 41 minutos, Pablo ajeitou para Bergson na área, mas o atacante escorregou e ficou sem a bola. Mancuello ainda tentou um arremate, aos 46 minutos, nas mãos de Santos. Quando tudo parecia resolvido, Raniel apareceu no meio da defesa para tocar na saída do goleiro e dar a vitória à Raposa.

ATLÉTICO- PR 1 X 2 CRUZEIRO – MG

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 16 de maio de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Cartões amarelos :Bergson, Camacho (Atlético-PR); Egídio (Cruzeiro)

Gols
ATLÉTICO – PR: Carleto, aos 41 minutos do primeiro tempo
CRUZEIRO: Henrique, aos 34 minutos e Raniel, aos 47 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO- PR: Santos; Zé Ivaldo, Pavez e Thiago Heleno; Matheus Rossetto, Camacho, Lucho González (Bruno Guimarães) e Carleto; Rapahel Veiga (Matheus Anjos), Pablo e Bergson (Marcinho).
Técnico: Fernando Diniz

CRUZEIRO: Fábio; Lucas Romero, Léo, Dedé e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho (Macuello), Rafinha e Arrascaeta (Rafael Sóbis); Sassá (Raniel).
Técnico: Mano Menezes

Com informações da Gazeta Press.


Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM