terça-feira, 20 de março de 2018

Vereadores de Laranjeiras formam aliança pra tentar reverter fechamento da Fafen

Vereador Jânio Dias pede apoio das autoridades e da comunidade em prol da Fafen
A população de Laranjeiras e do Estado de Sergipe foram pegos de surpresa nesta terça-feira, (20), com a notícia do fechamento da unidade da Petrobras/FAFEN. Por conta disso, os vereadores da cidade histórica se reuniram para tentar tomar providências e reverter a situação, já que diversos setores serão afetados.
Uma das primeiras providências é realizar uma audiência pública com os prefeitos, vereadores e a população dos municípios de Riachuelo, Santo Amaro, Rosário e Maruim, para, juntos, encontrarem uma solução que venha suspender a ordem de fechamento da fábrica de fertilizantes nitrogenados da Petrobras.

Vereador José Carlos JJ bastante preocupado com o fechamento da Fafen
O principal motivo, alegado pela empresa, para o fechamento da fábrica em Laranjeiras é o acúmulo de prejuízos financeiros nos últimos dois anos e a perspectiva de um prejuízo de R$ 1,3 bilhão nos próximos 12 anos. A privatização também é uma alternativa que está em avaliação. Por isso, será mantida a integridade das instalações de forma a possibilitar a retomada das operações por um eventual comprador.

Na avaliação dos vereadores e da população de Laranjeiras a hibernação defendida pela estatal não é a melhor solução, já que a taxa de desemprego vai aumentar consideravelmente por conta da cadeia produtiva em torno da fábrica. “Boa parte da economia de Laranjeiras é movimentada pela Fafen, de forma direta ou indiretamente. No entorno do bairro Pedra Branca, existem diversas empresas que podem fechar as portas; são transportadoras, misturadoras, hotéis e pousadas, restaurantes, entre tantas outras. Por isso, é preciso unir forças da nossa bancada federal, de deputados e senadores, além do governador, vereadores e prefeitos, para juntos, encontrarmos uma solução”, disse o vereador Jânio Dias, vice-presidente da Câmara de Laranjeiras.

Ainda de acordo com o vereador, 250 trabalhadores efetivos e 475 terceirizados serão afetados diretamente, tendo em vista que os efetivos serão transferidos para outras unidades da empresa e os demais ficarão desempregados. O representante do legislativo municipal acrescentou também que os prejuízos acumulados pela companhia se deve aos altos custos de insumos para a produção de Ureia, Amônia, Gás Carbônico e Sulfato de Amônia e o baixo custo dos fertilizantes importados.

“Por falta de incentivo do Governo Federal e uma carga tributária muito alta, os produtos produzidos na Fafen têm um custo mais alto do que os importados, por exemplo. Para se ter uma ideia, a Fafen gasta R$ 400 milhões/ano em compra de gás natural da própria Petrobras e cerca de R$ 3 milhões/mês com as despesas na conta de água. Somente isso impacta bastante. Portanto, essa notícia é uma catástrofe para a região do Vale do Cotinguiba. O que será de Sergipe sem a Fafen?”, indagou Jânio Dias.

Vereador Adriano de Pedra Branca diz que Laranjeiras perderá muito com o fechamento da Fafen
O vereador Adriano de Pedra Branca reiterou o discurso de Jânio Dias e ressaltou que os impactos em Laranjeiras com o fechamento da Fafen já começaram a ser debatidos e muitos empresários já barraram os investimentos. “Essa notícia caiu hoje como uma bomba e os empresários de Laranjeiras já barraram os investimentos. O clima na cidade é de muita tensão, por que vai acabar com uma cadeia produtiva que sustenta centenas de famílias há cerca de 30 anos. Laranjeiras está de luto”, frisou Adriano.

Com informações da T. Dantas Ascom-CML


Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM