domingo, 13 de agosto de 2017

Vitória para recuperar a confiança: Atlético-MG bate o Flamengo em casa

Gazeta Esportiva - O Galo vive uma grande crise, com eliminação em competições importantes e demissão de treinador. 

Para espantar logo a má fase, recuperar a confiança e voltar no caminho das vitórias, o Atlético bateu o Flamengo, na tarde deste domingo, por 2 a 0, no Independência, em confronto válido pelo Campeonato Brasileiro. O resultado deixa o Galo na 9ª colocação, com 26 pontos a três tentos do G6, posição ocupada pelo rubro-negro.

Os gols de Fábio Santos e Rafael Moura foram o retrato de um Galo que foi bastante superior durante todo o duelo. Nos dois tempos a equipe alvinegra teve mais posse de bola, conseguiu criar as jogadas e marcou seus gols em um futebol mais coletivo – algo que não via há algum tempo.

A equipe alvinegra volta a campo apenas na próxima segunda-feira, contra o Fluminense, às 20h (de Brasília), no Rio de Janeiro. Já o Flamengo entra em campo no sábado, às 19h, contra o Atlético-GO, no Luso-Brasileiro.

Primeiro tempo

O Galo começou melhor na etapa inicial. Logo nos primeiros minutos a equipe alvinegra pressionou o Flamengo, em busca de resolver rapidamente a partida. Os três primeiros lances perigosos foram do Galo, que teve chances para abrir o marcador.

Não demorou para conseguir isso. Aos 14 minutos, Cazares lançou para Luan que foi parado com falta dentro da área, com um puxão de Trauco. Na cobrança de pênalti, Fábio Santos com bastante categoria mandou Diego Alves para um lado e a bola foi para o outro.

O Galo tinha superioridade no meio campo, isso facilitava as ações alvinegras e dificultava a vida flamenguista. Cazares, Elias, Adilson e Rafael Carioca faziam muita movimentação e isso dava mais capacidade do Galo.

O Flamengo, porém, adiantou sua marcação para tentar anular um pouco vantagem alvinegra. E funcionou. Após os 25, o time rubro-negro foi melhor e conseguia chegar com mais facilidade. Isso, no entanto, abria espaços para os contra-ataques atleticanos, que funcionaram em alguns momentos.

O primeiro tempo, entretanto, terminou com igualdade, com as duas equipes criando e tendo chances para balançar as redes.

Segundo tempo

A etapa final mostrou um desenho de jogo diferente. Isso porque o Galo com o placar a seu favor, usou o esquema com três volantes para jogar totalmente a seu favor. A equipe mineira atuava fechadinha, sem se arriscar e esperava o Flamengo.

Aos 7, em contra-ataque atleticano, Marcos Rocha driblou Trauco e ele precisou fazer a falta. Como já tinha o amarelo levou o segundo e o vermelho na sequência.

Dois minutos depois, a equipe alvinegra aproveitou os problemas na esquerda, com a subtituição ainda por fazer, e usou o setor que estava desfalcado para marcar seu segundo gol. Luan foi lançado na ponta, cruzou na área e Rafael Moura colocou para o fundo das redes.

Após o gol, o Atlético passou a dominar a partida completamente. O Flamengo, que já tinha problemas para conseguir algo melhor no meio campo, agora tinha dificuldades por ter um jogador a menos e não conseguiu superar a defesa atleticana, finalizando o placar em 2 a 0.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2 X 0 FLAMENGO-RJ


Local: Arena Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 13 de agosto de 2017 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)

Público: 11.031

Renda: R$ 235.523,00

Gols: Fábio Santos, aos 15 minutos do primeiro tempo, Rafael Moura, aos 8 minutos do segundo tempo (Atlético)
Cartões amarelos: Gabriel, Adílson, Rafael Carioca, Robinho (Atlético); Trauco (2) (Flamengo)
Cartão vermelho: Trauco (Flamengo)

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel (Felipe Santana) e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Adilson (Otero) e Cazares; Luan (Yago) e Fred
Técnico: Rogério Micale

FLAMENGO: Diego Alves, Pará, Rever, Rodholfo e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão, Geuvânio (Renê) e Everton Ribeiro; Orlando Berrío (Cuéllar) e Felipe Vizeu (Vinicius Júnior)
Técnico: Jayme de Almeida


.texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM