terça-feira, 18 de julho de 2017

Rede de rádio FAN FM (99,7) processa judicialmente prefeito de Aquidabã

Célia Silva - A assessoria jurídica da Rede Fan FM ingressou na manhã desta terça-feira, 18, com duas queixas-crimes contra o prefeito de Aquidabã, Francisco Francimário Rodrigues de Lucena, (PRB) por calúnia e difamação. Os dois processos já foram distribuídos e, nos próximos dias, será impetrada, também, contra o prefeito conhecido como Doutor Mário, uma ação civil por danos morais.

A assessoria jurídica da rede Fan FM ingressou na manhã desta terça-feira, 18, com duas queixas-crimes contra o prefeito de Aquidabã, Francisco Francimário Rodrigues de Lucena, (PRB) por calúnia e difamação. Os dois processos já foram distribuídos e nos próximos dias, será impetrada, também, contra o prefeito conhecido como Doutor Mário, uma ação civil por danos morais.

As ações foram motivadas após o prefeito postar em redes sociais que fora vítima de extorsão pela emissora Fan FM e pelo radialista George Magalhães. “Eu nem o conheço” exclamou George, âncora do programa Jornal da Fan, da Fan FM Aracaju. “Foi uma acusação leviana e precisamos ir atrás da verdade”, acrescentou o proprietário da emissora, Sandro de Miro.

Sandro de Miro destacou que a emissora é pautada pelos anseios da população e na ética e que, não pode deixar a imagem do Grupo Presidente, que administra a rádio, nem a da emissora ser maculada por esse tipo de acusação. “Vamos levar a ação até o final”, afirmou.

Ele lembrou que a Fan FM é uma emissora recente no mercado da comunicação e que pratica desde o dia 6 de fevereiro um jornalismo atuante, voltado a questões sociais. Para ele, essa forma de fazer jornalismo pode deixar a emissora vulnerável, a esse tipo de problema, mas, não vamos permitir que maculem a imagem da nossa emissora. Vamos atrás da verdade”, reiterou Sandro de Miro. A Fan FM entrou no ar nos primeiros dias de janeiro deste ano.

O advogado da Rede Fan FM, Wanderson Nascimento, informou que o prefeito terá que provar o crime de extorsão. “Não há provas e não houve extorsão. Ninguém da rádio, nem o executivo de contas da emissora, gerente comercial, nem os próprios radialistas, Pereira ou George, mantiveram contato com ele, por whatsapp, telefone, na casa dele, nada, nada. Daí fica clara a falsidade dessas declarações que foram feitas de forma proposital, ao que parece, para manchar a honra da rádio e do apresentador”, disse. O advogado lembrou que, se o crime tivesse ocorrido e caso o prefeito tivesse provas, ele deveria ter buscado o Ministério Público ou a delegacia para denunciar o suposto crime.

O radialista George Magalhães também está confiante na apuração da verdade. “Vamos aguardar o andamento da ação, já que cabe a ele o ônus da prova”, disse. O apresentador contou que a polêmica começou após denunciar no programa Jornal da Fan Primeira Edição do dia 12 de julho a existência de um funcionário fantasma na prefeitura de Aquidabã. George esclareceu que, neste mesmo dia, abriu espaço para o prefeito falar, mas diante do horário e do desenrolar de uma matéria que já estava no ar, não houve tempo para Dr. Mário falar.

“Disse que no dia seguinte a emissora estaria à disposição do prefeito para que ele pudesse esclarecer melhor o assunto. Mas, para surpresa nossa, no outro dia, soube da existência de um áudio do prefeito acusando a mim e a emissora de extorsão”, lamentou George Magalhães. Ele afirmou que a denúncia é grave e assegurou que não procurou o prefeito, nem ninguém da prefeitura, nem autorizou nenhuma pessoa para procurá-lo. “Eu passei a conhecer esse cidadão depois dessa polêmica toda, quando vi a foto dele nas redes sociais”, assegurou.

Os números dos processos são: 201700317905 e 201700317901

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM