sábado, 29 de julho de 2017

Os melhores e os piores alimentos para as crianças

Os pequenos precisam de uma alimentação rica em nutrientes para que consigam crescer saudáveis e fortes para encarar a vida adulta.

Confira a lista com as respectivas justificativas e informações de saúde importantes:

Ovos - Além de ser fonte de proteínas, é extremamente importante para a formação do cérebro. Comece oferecendo a gema cozida, já a clara costuma ser recomendada depois do primeiro ano de vida.

Sardinhas - O peixe está repleto de cálcio e ômega 3. Auxilia na formação dos músculos e dos ossos, e ainda protege o coração.

Iorgute - É outra boa fonte de proteínas e cálcio. Também garante o equilíbrio do trato gastrointestinal, além de ser importante para que o corpo possa absorver os nutrientes corretamente.

Brócolis - O brócolis tem compostos que ajudam a combater inflamações, além de fortalecer os ossos, manter o sistema nervoso saudável e auxiliar na digestão.

Abacate - A fruta ajuda na absorção de nutrientes, possui grande quantidade de antioxidantes, mantém o bom colesterol e fornece energia para garantir o desenvolvimento da criança

Quinoa - É um alimento de alto valor biológico, portanto, tem os aminoácidos essenciais que o nosso corpo precisa para funcionar. Beneficia o sistema nervoso, a manutenção muscular, a síntese de hormônios e a formação dos ossos.

Arroz e feijão - A combinação é perfeita, pois um complementa o outro na questão dos aminoácidos. Além disso, o arroz, que é uma ótima fonte de energia, ajuda na absorção de todos os nutrientes do feijão, rico em ferro e vitaminas do complexo B.

Cenoura - Do grupo dos legumes, ela é rica em vitamina A, importante para saúde dos olhos e da pele. Para aproveitar o betacaroteno, sirva cozida e com azeite.

Carne sem gordura - Além de fonte de proteínas, ela fornece diversos nutrientes importantes para o desenvolvimento da criança, como ferro e zinco. Evite prepará-la frita ou empanada.

Frutas cítricas - Estas frutas são ricas em vitamina C, um nutriente responsável pela síntese de colágenio. O colágeno é essencial para o desenvolvimento muscular, fazendo com que a vitamina C seja absorvida, o que é fundamental para toda criança.

Bananas - A banana é uma das melhores amigas das crianças, ela fornece uma boa fonte de magnésio e potássio, nutrientes essenciais para o crescimento e função nervosa.

Frutos vermelhos - Os morangos, framboesa, amoras, acerola e mirtilos contêm pouco açúcar e são uma excelente fonte de vitamina C, K, cálcio, e magnésio. Nutrientes importantes para a saúde dos ossos.

Maçãs - A maçã é um fruto poderoso para o crescimento dos músculos e eliminar a gordura corporal subcutânea. Elas são uma boa fonte de fibra e promove a regularidade intestinal.

Aveia - A aveia é uma excelente fonte de nutrientes essenciais. E por ter muita fibra, aumenta a sensação de saciedade que manterá a criança longe das guloseimas. 

Nozes - As nozes são ricas em proteínas, ácidos graxos e vitaminas que melhoram o humor e mantêm o sistema nervoso saudável.

Refigerante - Com muito açúcar, o refrigerante favorece o risco do desenvolvimento da obesidade desde a infância e de cáries. Possui altos teores de sódio e podem proporcionar a perda de cálcio pelo organismo.

Suco de soja - Rico em fitoestrôgenos, que possui atividades semelhantes a hormônios sexuais femininos, o suco de soja pode aumentar o risco de alterações hormonais precoces.

Sucos industrializados - Os sucos industrializados estão repletos de açúcares e aditivos como, por exemplo, corantes e adoçantes. Estes alimentos aumentam o risco de obesidade e alergias.

Embutidos - Ricos em sódio, gordura e nitratos, os embutidos aumentam o risco do desenvolvimento de hipertensão arterial e de outras doenças como o câncer. 

Biscoitos recheados - Estes biscoitos aumentam o risco de obesidade e doenças crônicas como a diabetes, pois possuem muita gordura e açucares. 

Salgadinhos - Não possui nenhum valor nutricional. Os altos teores de sódio e gordura não irão alimentar a criança, que irá engordar sem nutrir-se.Balas - Estas guloseimas possuem muito açúcar e corantes. Por causa disto, aumenta o risco do desenvolvimento de cáries, alergias e obesidade.

Gelatinas industrializadas - Assim como as balas, as gelatinas industrializadas são ricas em corantes, açúcares. O que pode provocar alergias e obesidade nas crianças.

Macarrão instantâneo - Constituído basicamente de sódio e de conservantes, não oferece nenhuma vitamina, logo, não atende às necessidades nutricionais diárias da criança. 

Pizza congelada - O problema é, mais uma vez, o sódio, cujo consumo excessivo pode ocasionar aumento da pressão e doenças renais.

Empanado de frango - Também preparado com carne processada, não oferece as proteínas necessárias. Fritos, aumentam as chances de desenvolver pressão alta.

Hambúrguer congelado - Outro que endossa a relação dos piores alimentos, é carregado de gordura trans, componente que aumenta o colesterol ruim (LDL) e reduz o colesterol bom (HDL). 

Sorvete - O sorvete é rico em açúcar, que é absorvido rapidamente pelo metabolismo. Consumido em excesso, em longo prazo pode comprometer artérias, provocar doenças vasculares capazes de afetar rins, coração e cérebro. 

Frituras em geral - Com excesso de gordura saturada, tais alimentos favorecem o desenvolvimento da obesidade infantil e de problemas cardíacos, como o aumento do colesterol.

Quando as crianças começam a ingerir alimentos sólidos, surgem os primeiros hábitos alimentares e o paladar começa a ser fortemente estimulado, por causa dos inúmeros alimentos que são introduzidos naquela fase da vida.

O que os pequenos aprendem com os pais, amigos, e as outras crianças irão influenciar a forma como eles comem e se relacionam com a comida.

Assim como já está provado cientificamente, uma dieta nutritiva na infância pode evitar problemas de saúde durante toda a vida.

Optar por alimentos naturais e evitar os alimentos processados é essencial para que um organismo cresça de maneira saudável e feliz.

Por isso, conheça nesta galeria de imagens, quais são os melhores e os piores alimentos para as crianças.

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM