domingo, 9 de julho de 2017

Antes de parecer sobre denúncia, Temer faz nova reunião com aliados

Encontro ocorrerá na noite deste domingo, no Palácio da Alvorada.

Depois de se encontrar, na manhã deste domingo (9), com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, o presidente Michel Temer fará nova reunião, hoje à noite, no Palácio da Alvorada, com líderes da base aliada.

Segundo informações do jornal O Globo, Temer já se encaminhou para o local, na companhia dos ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral.

Além deles, devem estar presentes os líderes do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), no Congresso, André Moura (PSC-SE), e o da bancada do partido, Baleia Rossi (SP).

Na pauta, está a votação, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da denúncia de corrupção passiva da qual Temer é alvo e cujo parecer do relator, deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ, deve ser dado nesta segunda-feira (10).

A expectativa é de que o colegiado vote pelo andamento ou não do processo ainda esta semana. No último domingo (2), levantamento feito pelo jornal apontava que 13 parlamentares haviam declarado ser a favor da denúncia. No entanto, nova pesquisa, realizada durante esta semana, mostra que mais oito membros do colegiado se posicionaram contra Temer.

Já os que declararam apoio ao presidente subiram de quatro, no último domingo, para seis, nessa sexta (7). A CCJ é formada por 66 deputados.

"Pelo que já li da denúncia, considero bastante grave, está bem embasada, e atende aos critérios de admissibilidade na CCJ", posicionou-se Fábio Souza (PSDB-GO), apesar de ser da base aliada do presidente.

Segundo informações que circulam nos corredores do Congresso, os políticos estão evitando se posicionar abertamente a favor do presidente. A grande maioria dos ouvidos não respondeu ou se mostrou indecisa.

"Votarei como o partido decidir", disse Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), na última semana.

Fato é que, em cinco dias, o número de deputados a favor da denúncia contra o presidente cresceu quatro vezes mais que as declarações de apoio a ele. A votação na CCJ é o primeiro passo, na Câmara, para autorização ou não da denúncia.

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM