quarta-feira, 19 de julho de 2017

AMESE e Gilmar Carvalho representam a gestão de Paulão da Varzinhas no MPE

A representação foi motivada, porque os gestores municipais culparam a PM SE pela falta de policiamento durante a realização da última edição do Laranjeirart.

A AMESE, em parceria com o deputado estadual Gilmar Carvalho, protocola representação junto à promotoria da Comarca de Laranjeiras, solicitando que apure, as responsabilidades dos gestores da Prefeitura de Laranjeiras, por permitir que o evento cultural realizado no último dia 09 de julho, na Praça da Matriz, fosse realizado sem o devido policiamento. Onde ocorreu um tiroteio e seis pessoas ficaram feridas. Estando um delas, em estado grave de saúde. Os gestores municipais tentaram imputar a Polícia Militar, a culpa pela falta de policiamento, fato que não foi verdade.


Blog Espaço Militar - Na manhã desta quarta-feira, dia 19, a AMESE (Associação dos Militares do Estado de Sergipe), que tem como presidente o Major Ildomário Santos Gomes, por meio da sua assessoria jurídica, através do Dr. Márlio Damasceno, em parceria com o deputado estadual Gilmar Carvalho, protocolaram representação junto a 1ª Promotoria do Ministério Público da Comarca de Laranjeiras, que tem à frente o Promotor de Justiça Dr. Walter César Nunes Filho, contra a Prefeitura de Laranjeiras, para que seja apurada a responsabilidade do gestor ou dos gestores, que autorizaram a realização de um evento cultural realizado no último dia 09 de julho, onde ocorreu um tiroteio que veio a ferir seis pessoas, dentre elas, uma em estado grave e a Prefeitura culpou a Polícia Militar pelo ocorrido, por não garantir o policiamento para o evento.

Ocorre que, a culpa jamais foi da Polícia Militar, nem dos policiais militares que trabalham naquele município, a prefeitura solicitou através de ofício protocolado no dia 28 de junho, policiamento para o citado evento, o qual, inicialmente, estava marcado para o dia 02 de julho do ano em curso, tendo, já no mesmo dia em que foi protocolado, ou seja, sido indeferida a solicitação, por três motivos: por tal solicitação ter sido feita fora do prazo estabelecido pela portaria normativa nº 008/2013; por não haver previsão de policiamento extraordinário; e pelo evento ocorrer em local aberto.

Mesmo com o indeferimento, por conta própria, a Prefeitura de Laranjeiras resolveu autorizar e realizar o evento no dia 09 de julho deste ano, ou seja, fora da data informada e sem o devido policiamento que seria necessário, vindo a ocorrer um tiroteio durante o evento, que lesionou seis pessoas.


Assista o vídeo:


Na representação a AMESE e Gilmar, destacam que a Polícia Militar é uma instituição que ao longo dos anos foi e é reseitada pelo serviço que presta à sociedade sergipana e agora vê a imagem, não só da corporação, como dos seus abnegados policiais militares, manchadas, como se tivessem feito o policiamento devido no evento, fato que é uma inverdade, pois era do conhecimento da prefeitura que não haveria reforço no policiamento da cidade, devido as razões relatadas acima, e além do mais, fez também alteração de data sem sequer comunicar, devendo, portanto, o ou os gestores, arcar com a responsabilidade devida.

Confiram abaixo o teor da representação protocolada pela AMESE e pelo deputado Gilmar Carvalho, junto ao Ministério Público da Comarca de Laranjeiras, onde foram também anexados documentos para alicerçar a representação:






texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM