sexta-feira, 14 de julho de 2017

A NASA difunde as melhores imagens captadas da Grande Mancha Vermelha de Júpiter

EL PAÍS - A Nasa divulgou nesta quarta-feira uma série de imagens impressionantes da tempestade “furiosa” de Júpiter, conhecida como a Grande Mancha Vermelha, esquadrinhada no início desta semana pela sonda não tripulada Juno.

A sonda sobrevoou a tempestade na segunda-feira oferecendo a visão mais próxima que a humanidade já obteve da mancha característica do maior planeta do Sistema Solar e que se supõe que exista há mais de três séculos.

“Durante centenas de anos os cientistas estiveram observando, perguntando e teorizando sobre a Grande Mancha Vermelha de Júpiter”, disse Scott Bolton, pesquisador-chefe da Juno no Southwest Research Institute em San Antonio. “Agora temos as melhores imagens da História”, acrescentou.

Os cientistas esperam saber mais a respeito das causas da tempestade. Segundo Bolton, levará algum tempo para analisar os dados coletados pelos oito instrumentos da Juno na passagem pela tormenta, a 9.000 quilômetros de altura.

A Grande Mancha Vermelha media 16.350 quilômetros de largura em 3 de abril deste ano, 1,3 vez o tamanho da Terra. Ela tem sido monitorada desde 1830 e possivelmente existe há mais de 350 anos. A Nasa fotografou o fenômeno ao longo dos anos através de telescópios e naves não tripuladas.

A Juno foi lançada em 2011 e entrou na órbita de Júpiter no ano passado. Seu próximo voo de reconhecimento está previsto para o início de setembro.

“Estas imagens tão esperadas da Grande Mancha Vermelha de Júpiter são a ‘tempestade perfeita’ entre arte e ciência”, disse Jim Green, diretor de ciência planetária da Nasa. “Estamos felizes em compartilhar a beleza e a emoção da ciência espacial com todos”, acrescentou.

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM