quinta-feira, 6 de abril de 2017

Torturado por militares, cantor apoia Bolsonaro e a volta da ditadura

O cantor não fez segredo sobre o seu voto para presidente.

Os tempos sombrios vividos por Amado Batista no passado parecem não assustá-lo mais. O cantor conversou com com Fábio Porchat nesta terça (4) e acabou deixando o apresentador muito desconfortável ao defender a volta da ditadura militar. Detalhe: Batista foi preso e torturado no período ditatorial.

No programa, o cantor se mostrou favorável à volta do regime militar. "Prefiro a ditadura a essa anarquia que está hoje", declarou.

Sobre as próximas eleições, o cantor não fez segredo sobre o seu voto para presidente: "Democraticamente, tem que ser Jair Bolsonaro", defendeu Batista.

O posicionamento do músico já não é novidade. Em 2013, segundo a revista Veja, fez uma analogia da ditadura com castigos infantis. "Eu acho que quando uma criança cospe na sua cara, chuta sua canela, o que o pai deve fazer? Não deve corrigir? Então, eu estava fazendo a mesma coisa, que não era uma coisa correta. Eu acho que eu não tinha de estar contra, brigando contra o governo. O governo estava nos defendendo de pessoas que estavam querendo tomar o país à força, com armas nas mãos", declarou na época, levantando grande polêmica.

Notícias ao Minuto

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM