sábado, 22 de abril de 2017

Sindicatos convocam greve contra reformas no dia 28 de abril

Organização dos Professores de São Paulo informou ter aderido ao movimento.

Sindicatos e outros movimentos sociais estão organizando atos para a próxima sexta (28) contra as reformas da Previdência e das leis trabalhistas.

Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP) declarou nesta quinta (20) que a categoria vai aderir ao movimento. Segundo levantamento preliminar, a greve deverá afetar ao menos cem escolas na capital paulista.

As organizações da rede particular do Rio de Janeiro e de Campinas (SP) também já mostraram interesse em participar da paralisação. As informações são da Folha de S. Paulo.

A greve geral do dia 28 foi convocada por sindicatos e federações no dia 27 de março, alegando que as medidas do governo Temer são uma afronta aos direitos trabalhistas.

Confira a chamada na íntegra:
As centrais sindicais conclamam seus sindicatos, federações e confederações a paralisarem suas atividades no dia 28 de abril.

O objetivo é enviar ao governo um contundente alerta de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas da reforma previdenciária, trabalhista e o projeto de terceirização aprovado pela Câmara dos Deputados, no último dia 23 de março.

Na opinião das lideranças, trata-se do desmonte da previdência pública e a retirada dos direitos trabalhistas, garantidos pela CLT.

Por isso, conclamamos toda a sociedade, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil.

São Paulo, 27 de março de 2017

Central ds Sindicatos Brasileiros – CSB

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB

Central Única dos Trabalhadores - CUT

Força Sindical - FS

Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST

União Geral dos Trabalhadores - UGT

Central Geral dos Trabalhadores do Brasil - CGTB

Intersindical

CSP-Conlutas

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM