terça-feira, 25 de abril de 2017

Jackson participa de homenagem a Seixas Dória na Alese

Governador falou da coragem e princípios democráticos e desenvolvimentistas do ex-governador.

O governador Jackson Barreto compareceu na tarde desta segunda-feira, 24, à sessão solene em homenagem ao centenário de nascimento do ex-governador de Sergipe, João Seixas Dória. A solenidade foi promovida pela Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

O governador Jackson Barreto afirmou que a história de Seixas Dória deveria ser melhor conhecida pela juventude sergipana e sugeriu que Secretaria de Educação estimule este conhecimento.

“A história de Seixas Dória está reservada à história dos grandes homens que fizeram a vida pública desse estado. Ninguém mais do que ele soube enfrentar com coragem os desafios do golpe de 64”, revelou.

Jackson Barreto destacou que Seixas Dória foi altivo no momento de ser altivo, preferindo a cadeia a ter que se dobrar ao regime militar, como muitos fizeram. “Dele temos grandes e belas lembranças que precisam ser levadas ao conhecimento das novas gerações para que possam olhar o seu passado e ter como bússola o olhar desse homem que foi fiel aos seus princípios democráticos e desenvolvimentistas”, finalizou.

A deputada estadual Ana Lúcia, que propôs a iniciativa de homenagem aprovada por unanimidade pela Casa Legislativa, falou em nome da Alese, ressaltando a defesa intransigente de Seixas Dória pela democracia e pela promoção do desenvolvimento de Sergipe. “Seixas Dória é um ícone da política sergipana. Foi fiel aos seus princípios e ideais, demonstrando resistência de caráter quando teve seus direitos políticos cassados”, revelou.

O presidente da Academia Sergipana de Letras, Anderson Nascimento, também saudou o homenageado, referindo-se a sua produção literária e suas posições em defesa da democracia.

Emocionado, o filho de Seixas Dória, Antônio Carlos Mesquita Dória, agradeceu a homenagem promovida ao seu pai pela Assembleia Legislativa de Sergipe. “Esta homenagem é o reconhecimento da trajetória política do meu pai, e também da sua postura perante a vida, defendendo uma sociedade mais justa e um estado e país mais desenvolvidos”, afirmou.
Antônio Mesquita disse que seu pai manteve ao logo de toda a sua vida uma postura ética e coerente, nunca trocando as benesses do cargo por sua dignidade.

Lançamentos

Na ocasião, a Empresa de Correios e Telégrafos lançou um selo comemorativo aos 100 anos de nascimento de Seixas Dórea e a Academia Sergipana de Letras, em parceria com a Assembleia Legislativa, lançou um encarte contando a história desse político sergipano.

Biografia

João de Seixas Dória nasceu em Propriá, em 23 de fevereiro de 1917, filho de Antônio de Lima Dória e de Maria de Seixas Dória. Casou-se com Meire Dória e tiveram dois filhos: Antônio Carlos e Ernane.

Os primeiros anos de escola fez em Propriá com dona Rosinha Pinheiro. Concluiu o primário no Colégio Antônio Vieira e o curso secundário no Colégio Marista, ambos em Salvador. Entrou, inicialmente, na Faculdade de Direito da Bahia, transferindo-se, no segundo ano, para Faculdade de Direito de Niterói, onde se formou Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, em 1946. Voltou a Salvador e exerceu a advocacia por um período até ingressar na política.

Na década de 1940, o prefeito de Aracaju, Josaphat Carlos Borges, o nomeou secretário da prefeitura. Com o fim do Estado Novo, filiou-se à UDN, sendo eleito deputado estadual em 1947 e 1950, chegando ao posto de líder da bancada. Em 1954 e 1958 foi eleito deputado federal e integrou-se à Frente Parlamentar Nacionalista. Foi vice-líder do Governo do Jânio Quadros na Câmara dos Deputados. Consumada a renúncia de Jânio Quadros em 25 de agosto de 1961, Seixas Dória integrou a "Bossa Nova" da UDN ao lado de nomes como o futuro presidente, José Sarney.

Em 1962, já membro do Partido Republicano, foi eleito governador de Sergipe, derrotando o udenista Leandro Maciel. Opôs-se ao Golpe Militar que abreviou o mandato do presidente João Goulart em 31 de março de 1964.

Removido à força do governo no dia seguinte, Seixas Dória foi preso e levado à ilha de Fernando de Noronha onde permaneceu por 04 meses até ser libertado por um habeas corpus do Superior Tribunal Militar. Por força do Ato Institucional Nº 2 teve os direitos políticos suspensos por dez anos a partir de 04 de julho de 1966.

Encerrada a sua "reclusão política" ingressou no MDB, atuando em defesa da anistia e da redemocratização. Com a reforma partidária de 1979, filiou-se ao PMDB. Suplente de deputado federal em 1982, exerceu o mandato a partir de uma licença médica de José Carlos Teixeira, sendo efetivado após a vitória de Jackson Barreto nas eleições para prefeito de Aracaju em 1985.

Foi nomeado secretário de Transportes pelo governador Antônio Carlos Valadares em agosto de 1988 permanecendo no cargo por quatro meses. Assessor político da Presidência da República nos últimos meses do Governo Sarney, foi secretário de Transportes no segundo governo João Alves Filho e depois membro do conselho de administração da Companhia Vale do Rio Doce.

Membro da Academia Sergipana de Letras, ocupava a cadeira de nº 32, e era autor de Sílvio Romero, jurista e filósofo e Eu, réu sem crime.

Faleceu em Aracaju, em 31 de janeiro de 2012. Em sua homenagem, a Assembleia nomeou sua escola de formação, Escola do Legislativo João de Seixas Dória.

Mandato devolvido

Em 30 de março de 2015, a Assembleia Legislativa de Sergipe devolveu simbolicamente os mandatos do governador Seixas Dória e de seis parlamentares cassados por perseguição política. A deputada estadual Ana Lúcia foi a autora dos Projetos de Resolução que tornaram nulas as decisões que extinguiram os mandatos do Governador Seixas Dória, e dos deputados estaduais Cleto Sampaio Maia (PRT), Viana de Assis (PR), José Nivaldo dos Santos (PR), Baltazar José dos Santos (PSD) e Antônio de Oliveira (PTB), todos cassado e perseguido por se posicionar contra o Golpe Militar, em 1964.

Também foi devolvido simbolicamente a Armando Domingues seu mandato de deputado estadual cassado quando o Partido Comunista Brasileiro foi decretado ilegal, em 1947.

O Governo do Estado inaugurou em agosto de 2016, no Conjunto Jardim, em Socorro o Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Governador Seixas Dória. O investimento foi da ordem de R$ 8.449.412,00, e a escola está em vias de começar a funcionar, oferecendo ensino profissionalizante na área da saúde.

Presenças

Compareceram ao evento, o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira, a vice-prefeita Eliane Aquino, o vice-presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, desembargador Edson Ulices de Melo, o presidente da Câmara Municipal de Aracaju, vereador Nitinho Vitali e o diretor dos Correios em Sergipe, Israel Bispo. Com Informações da ASN.


texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM