domingo, 16 de abril de 2017

Cesta básica em Aracaju sofre aumento de 2,1% em março

Mesmo com alta, Aracaju registrou o terceiro menor valor do país no mês analisado.

Uma análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), apontou que o valor da cesta básica registrado na capital sergipana, em março, ficou em R$ 351,81.



Em termos relativos, verificou-se elevação de 2,1%, quando comparado com o valor da cesta básica do mês de fevereiro. Em relação a março do ano passado, a elevação ficou em 0,7%, as variações não consideram a inflação do período.

Dentre as 27 capitais brasileiras pesquisadas, a cesta básica de Aracaju registrou o terceiro menor valor do país, no mês analisado, ficando atrás somente do Rio Branco (R$323,34) e Salvador (R$ 349,66).

Desempenho dos preços dos produtos em março/2017


Dos 12 produtos que compõem a cesta básica aracajuana, cinco deles apresentaram retração no preço mensal, a maior queda foi verificada no preço do açúcar, que ficou 1,6% abaixo do registrado no mês anterior, fevereiro último. Em valores absolutos, o aracajuano gastou, em média, R$ 9,09 com o consumo mensal deste produto. Entretanto, na comparação anual (março/2016), o açúcar ficou 10,2% mais caro.

O preço do tomate, que no mês anterior havia caído, no mês de março apresentou alta de 16,7%, em relação ao mês anterior. Entretanto, quando comparado com o custo do mesmo mês do ano passado, o preço do tomate continua 28,5% menor. Já os preços do café e da manteiga, que apresentaram elevação em Aracaju e mais 19 capitais, ficaram 2,5% e 1,9% acima dos preços de fevereiro deste ano, na capital sergipana.

Dentre os itens que aumentaram o dispêndio mensal, em relação ao último mês de fevereiro, destacam-se: o tomate (+16,7%), a banana (+3,3%), o leite (+2,7%), o café (+2,5%), a manteiga (+1,9%), o feijão (+1,4%) e a farinha (+0,8%). Por sua vez, o gasto mensal com o açúcar ficou 1,6% menor, o óleo teve redução de 0,9%, o pão apresentou queda de 0,8%, e a carne e o arroz tiveram redução de 0,6%, cada. Com informações do Boletim Sergipe Econômico.


texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM