sexta-feira, 10 de março de 2017

Mesmo sem apresentar provas, Prefeitura suspeita de irregularidades na Associação que administra Hospital de Laranjeiras

Após 70 dias em atraso do repasse para a Associação de Sergipe, contratada para administrar o Hospital do município, a Prefeitura de Laranjeiras diz suspeitar de irregularidades nas faturas apresentadas pela Associação. Mas só agora?

A Prefeitura de Laranjeiras anuncia a realização de auditoria em contrato com entidade beneficente para administrar o Hospital São João de Deus, com o objetivo de identificar a real prestação dos serviços previstos no contrato firmado com a Associação Hospitalar de Sergipe.
A informação vem da representante da prefeitura, Tarciana Gomes Moura, que se identificou como diretora administrativa do hospital. Segundo a diretora, há suspeita que nem todos os serviços cobrados em nota fiscal enviada pela entidade à prefeitura foram efetivamente realizados.

A diretora Tarciana Gomes informou que a Associação Hospitalar enviou uma nota fiscal no valor de R$ 700 mil referente à prestação de serviços feita no mês de janeiro, sem descrever o tipo dos procedimentos realizados naquele período. “Vamos apurar tudo em auditoria. Eles enviaram uma nota fiscal com valor cheio e constatamos que nem todos os serviços foram efetivamente ofertados para a população”, declarou Tarciana Gomes.


Direção da Associação de Sergipe

Diante desta situação, os recursos inerentes ao contrato não foram repassados pela prefeitura e a Associação não teve fôlego para pagar os servidores da unidade de saúde, que estão sem receber salários desde o mês de janeiro, assim como também estão atrasados os repasses para fornecedores e credores da entidade, segundo informações do presidente da Associação Hospitalar de Sergipe, Marlon Fontes Amâncio.

Marlon Fontes rebate as informações da diretora administrativa do hospital, garantindo que todos os documentos inerentes à prestação dos serviços foram enviados em tempo hábil, no início do mês de fevereiro, relativo aos serviços prestados em janeiro, e no início de março, referente a fevereiro. E novamente reenviados, atendendo solicitação da prefeitura. “Não sei o que está acontecendo”, destacou. "O município é co-gestor e, mesmo que eu não enviasse os documentos, o município teria acesso a todas as informações do contrato", enaltece.

Possibilidade de Greve


A administradora do hospital, Kariny Souza Pinheiro, funcionária da Associação Hospitalar de Sergipe, informou que a situação está insuportável. “Se a prefeitura desconfia de superfaturamento ou de alguma irregularidade no contrato, que procure os órgãos competentes para investigar. O que não pode acontecer é funcionários e a população sendo prejudicados”, disse.

A administradora informou que já recebeu comunicado oficial do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Estado de Sergipe (Sintase) sobre a greve de advertência que os servidores realizarão na próxima semana. “Estamos preparando uma escala com o efetivo de 30% para não fechar, mas o hospital só tem como pagar os salários depois que os repasses forem feitos pela prefeitura”, considerou. “A próxima semana será decisiva”, enfatizou, referindo-se a possibilidade do hospital suspender o atendimento.

O contrato da prefeitura de Laranjeiras com a Associação Hospitalar de Sergipe foi renovado em dezembro do ano passado, para evitar a descontinuidade dos serviços, segundo informações de Kariny Pinheiro. A renovação do contrato, apesar de ter sido feito em fim de mandato pela gestão anterior, atende a recomendação do Ministério Público, conforme observou Kariny Pinheiro. Com informações de Cássia Santana, Infonet.


LEIA TAMBÉM:

Vereadores de Laranjeiras cobram melhorias para o Hospital, soluções para a falta d'água e a segurança

Funcionários do Hospital de Laranjeiras anunciam paralisação

texto

2 comentários:

Cledson SANTOS disse...

Prefeito Paulão!. Se vc não quer a instituição como administradora q procure meios cabíveis para resolver tal temática, agora p q não pode é o povo precisando de um bom funcionamento da unidade e não... Prefeito a caneta e sua... Os vereadores aprovou a verba suplementar q vc solicitou, sem a tal ficaria difícil administrar o município... Agora falta o q para exercer o papel do poder público de fornecer uma saúde de qualidade.....

Adalberto Nininho disse...

Não podemos sermos levados pela a emoção,pois sabemos que na coisa pública tem que se haver lesuria e transparência e bem sabemos que no Brasil a maior ferramenta que que não funciona são os órgão que fiscaliza as instituições públicas, e por esse os montantes em dinheiro vão se parar nos ralos e em contas de políticos que exerce em causá própria, contudo quando se tem um estrumento para fiscalizar temos que aceitar, já que o povo está cansados de ser ludibriados.

LEIA TAMBÉM