sexta-feira, 31 de março de 2017

Laranjeiras: Brasilina reafirma posicionamento na oposição e diz que fará seu papel de parlamentar. “Vou fiscalizar”

Na sessão ordinária da câmara de Laranjeiras, desta quinta-feira, 30, ao comentar sua participação num congresso nacional de gestão pública realizado em Aracaju nos dias 24 e 25 de março, a vereadora Brasilina Borges (PSD) disse ter aproveitado ao máximo as palestras que serviram para aumentar ainda mais seu conhecimento na área de políticas públicas, bem como de parlamentar. 

“Participamos de um congresso nacional em Aracaju no qual vereadores de todo o Brasil se fizeram presentes. Posso dizer que foi muito proveitoso, aprendi ainda mais sobre politicas públicas e o verdadeiro papel do vereador.

Me recordo a fala de um dos palestrantes quando dizia que o vereador tem a obrigação de fiscalizar os atos do Poder Executivo, e aí me recordei quando aqui aprovamos o orçamento para 2017, uma polêmica por termos feito alguns remanejamentos de verbas ligadas às secretarias estratégicas, sendo que algumas pessoas não quiseram entender. Ora, como disse o palestrante, cabe ao vereador ficar atento à tudo o que está aprovado no orçamento, e ter o cuidado de observar a sua aplicação, se está sendo correta ou não. Naquele momento da aprovação do orçamento, em dezembro de 2016, Laranjeiras estava com uma situação política em que um prefeito se encontrava impossibilitado de assumir o cargo, e esta Casa teve o cuidado de remanejar o orçamento para acompanhar devidamente a sua aplicação. Não fizemos porque queríamos prejudicar o prefeito, fizemos para controlar de forma mais presente o gasto orçamentário em um momento político e administrativo instável”, disse e edil.

A vereadora lembrou que o palestrante ressaltou que alguns prefeitos ainda não se “habituaram com o novo Brasil que estamos vivenciando e continuam viciados em práticas anteriores que só prejudicavam o erário público”. 

“Como disse o palestrante, durante o congresso, ainda existem prefeitos viciados em práticas antigas que se aproveitavam de situações como a coleta de lixo, a compra de remédios e a merenda escolar, por exemplo, serviços estes de onde muitos gestores tiravam dinheiro facilmente dos cofres públicos, e hoje, com a transparência e a fiscalização, isso se torna mais difícil. Não quero dizer que o senhor prefeito de Laranjeiras esteja neste caso, mas, mostrar a importância desta Casa ao ter que fazer o seu papel, e nós estamos fazendo ao trancarmos mais o orçamento para que o prefeito tenha que solicitar permissão à câmara para ter acesso a determinada verba e justificar como ela será usada”, disse. 

Continuando a edil ressalta que a câmara trabalha em conjunto com outros órgãos quanto a fiscalização. “Quero dizer aqui que o trabalho desta Casa é paralelo ao do Tribunal de Contas, ao Ministério Público quanto a fiscalização, só que nós, enquanto vereadores, estamos mais próximos e somos nós que devemos fiscalizar se o que foi contratado chegou de fato até o povo”, argumentou ela.

OPOSIÇÃO

A vereadora Brasilina Borges faz parte do bloco da oposição ao prefeito Paulão da Varzinhas (DEM), mas ela ressalta que seu trabalho não é para pegar ou prejudicar o prefeito. “Pelo contrário, fui eleita para representar o povo e fazer o que é de minha responsabilidade como vereadora, estou aqui para fiscalizar o Poder Executivo, embora alguns aliados do prefeito pensem o contrário. E a realidade hoje é outra, como disse o palestrante, “não adianta nenhum prefeito se vangloriar achando que por ter maioria na câmara está imune à fiscalização”. E isso é verdade, caso não consiga documentos por esta Casa, eu ou qualquer outro vereador tem o Ministério público a quem recorrer, hoje tudo tem que ser transparente, então não adianta maioria mais nesta Casa pensando em proibir o trabalho de vereador A ou vereador B, pois até o povo pode querer informações e fazer sozinho a fiscalização e cobrar via poder judiciário, por exemplo”, disse a edil.

Finalizando a vereadora disse estar incomodada com o que ela classifica como “falta de compromisso por parte desta nova administração”. 

Estou muito incomodada com isso, com esta falta de compromisso da atual gestão, e se o senhor prefeito continuar aplicando uma política arcaica, de mil novecentos e antigamente, as coisas não vão andar. Eu, sinceramente, pensei que ele viesse com uma administração moderna, pra frente, mas vejo que vai continuar caindo na mesmice. Ele precisa é fazer o que o palestrante disse: “Observar os erros do seu antecessor para não cometer os mesmos erros”. afirmou.

Com Informações da ASCOM/CML

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM