quarta-feira, 15 de março de 2017

Fluminense leva susto do Criciúma, mas avança na Copa do Brasil

Desde que fez do estádio do América a sua casa, o tricolor venceu o seu sétimo jogo em 11 partidas.

Com o resultado, O Fluminense venceu o Criciúma por 3 a 2 na noite desta quarta-feira (15), no estádio Giulite Coutinho, e avançou para a quarta fase da Copa do Brasil.



Desde que fez do estádio do América a sua casa, o tricolor venceu o seu sétimo jogo em 11 partidas.

Apesar de sair festejando, a torcida se assustou em determinados momentos do confronto, quando o Criciúma, então perdendo por 2 a 0, diminuiu o placar e foi para cima. Os times desperdiçaram chances de lado a lado, mas os gols de Douglas, Henrique Dourado e Sornoza mantiveram vivo o sonho do bicampeonato da Copa do Brasil.

Agora, o Fluminense aguarda o sorteio que vai definir o seu adversário na quarta fase da competição nacional.

A torcida tricolor não está nada feliz com a fissura no pé de Gustavo Scarpa, mas não tem do que se queixar de Richarlison, seu substituto. Mais uma vez, o atacante foi peça-chave para o resultado positivo.

Pelo lado esquerdo, o atacante criou boas chances e foi responsável por criar o lance que originou o gol de pênalti de Henrique Dourado. Àquela altura, Douglas já tinha aberto o placar após bonita jogada de Léo, que também serviu Sornoza no lance do terceiro gol. O lateral-esquerdo também teve grande destaque.

A defesa do Flu tem sofrido com as bolas altas. Contra o Criciúma, o gol de Diego Giaretta saiu após bola alçada na área. No lance, o lateral Renato falhou. No mais, o time catarinense levou vantagem em boa parte nos lances pelo alto.

O Criciúma entrou com três volantes em campo e conseguiu bloquear sem maiores problemas as ações dos donos da casa. Apesar do início sugerir que o Flu teria dificuldades de penetração, a equipe precisou de cinco minutos para abrir 2 a 0.

Quando a fatura parecia liquidada, o Fluminense cochilou no jogo e quase pagou caro por isso. Depois do gol de Diego Giaretta, os visitantes empurraram os tricolores para o seu campo de defesa e criaram boas oportunidades. Em uma delas, Caio Rangel quase encobriu Diego Cavalieri. Para sorte do Flu, Leandro Pedro Vuaden não validou um gol de mão de Barreto.

Ainda no início da etapa final, Caio Rangel, de novo, fez a torcida tricolor suar frio ao bater uma bola rente à trave. Com um placar que lhe favorecia, o Fluminense deu muito campo. O time se retraiu e quem dominou grande parte das ações foram os catarinenses. Em duas cobranças consecutivas de escanteio, Maranhão quase surpreende Cavalieri e faz o olímpico. Abel percebeu e lançou Marcos Jr. no lugar de Henrique.

Coincidentemente, o Fluminense resolveu sua vida um pouquinho depois da mexida. Sornoza acertou um chute rasante e não deu chance de defesa para o goleiro Édson. A partir daí,os 30 minutos restantes pareciam apenas protocolares, mas Silvinho diminuiu e tornou os últimos minutos de pura apreensão para os tricolores. Com o apito final de Leandro Pedro Vuaden, alívio e vaga na mão.

No retrospecto entre Criciúma e Fluminense, os catarinenses somam apenas cinco vitórias em 23 jogos. Curiosamente, todos os triunfos foram conquistados no Heriberto Hulse. Tabu mantido pelo Tricolor.

Os técnicos Abel Braga e Deivid mostraram que estão em sintonia com seus clubes. Na partida desta quarta, o tricolor usou uma camisa pólo verde. O comandante dos catarinenses, por sua vez, vestiu uma peça no mesmo modelo, mas na cor amarela.

FLUMINENSE

Júlio César; Renato, Henrique, Renato Chaves e Léo; Orejuela, Douglas (Wendel) e Sornoza; Richarlison, Wellington Silva e Henrique Dourado (Marcos Jr.)T.: Abel Braga

CRICIÚMA

Edson; Diogo Mateus, Raphael Silva, Diego Giaretta e Barreto; Marlon, Douglas Moreira (Caíque Valdívia), Ricardinho e Alex Maranhão (João Henrique); Caio Rangel e Pitbull (Silvinho)T.: Deivid

Estádio: Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)

Cartões amarelos: Diego Giaretta, Barreto, Caio Rangel, João Henrique e Raphael Silva (C);

Gols: Douglas (F), aos 14 min do 1º tempo; Henrique Dourado (F), aos 18 min do 1º tempo; Diego Giaretta (C), aos 29 min do 1º tempo; Sornoza (F), aos 16 min do 2º tempo; e Silvinhio (C), aos 42 min do 2º tempo. 

Com informações da Folhapress.

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM