segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Inscrições do Programa Mão Amiga Cana se iniciam dia 02 de março

Realizado pelo Governo do Estado desde 2009, o programa de transferência de renda concede um benefício de R$760 a cada trabalhador, dividido em quatro parcelas mensais de R$190, para minimizar os prejuízos causados pelo período da entressafra do cultivo.

Os trabalhadores do corte da cana beneficiários do Programa Mão Amiga terão o período de 02 a 31 de março para realizar sua inscrição na sede da Emdagro ou no Sindicato dos Trabalhadores Rurais da sua localidade.

Para passar essa e outras informações, o Departamento de Inclusão Produtiva da Secretaria de Estado da Mulher, Inclusão e Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos Humanos (DIP/Seidh) reuniu, na manhã desta segunda-feira, 20, técnicos e representantes dos sindicatos dos 20 municípios cadastrados no programa - incluindo o grande número de novos gestores que assumiram no último mês de janeiro.

Realizado pelo Governo do Estado desde 2009, o programa de transferência de renda concede um benefício de R$760 a cada trabalhador, dividido em quatro parcelas mensais de R$190, para minimizar os prejuízos causados pelo período da entressafra do cultivo. Segundo Maria Auta Arnaldo, técnica do DIP, no caso da Cana, a entressafra é compreendida entre os meses de maio e agosto, mas como leva um tempo até que as usinam deem baixa nas carteiras de trabalho dos beneficiários, a primeira parcela costuma ser paga no mês de junho.

“Segundo o nosso cronograma, a primeira parcela deve estar disponível entre 23 e 29 de junho, que também é o período em que percorreremos os municípios para fazer a entrega dos cartões aos novos beneficiários, que ainda não os possuem”, explicou Auta.

Presente na reunião, o secretário José Sobral conversou com os gestores e pediu que cada um pense em ações diferenciadas para incrementar o programa, de forma que ele possa agregar mais coisas ao trabalhador, para além do benefício em dinheiro.

“A gente precisa, na formatação desse programa, buscar uma forma de criar uma nova dinâmica, observar as necessidades do nosso público, para encontrar meios de melhorar a vida dessas pessoas de forma permanente. Pensar: O que eu posso ofertar para que ele mude um pouco sua condição? Será que ele topa se alfabetizar; fazer um curso de formação na área técnica agrícola para que tenha outras opções de trabalho? Ou mesmo oferecer serviços de saúde e práticas esportivas. Quero propor a todos que busquem sugerir, construir”, pontuou o secretário neste primeiro contato.


ASN

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM