quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Furacão bate o Deportivo Capiatá e garante vaga na fase de grupos

O sonho da Libertadores da América 2017 segue vivo para o Atlético Paranaense, que foi ao Estádio Erico Galeano Segovia, no Paraguai, e bateu o Deportivo Capiatá por 1 a 0, placar magro, mas suficiente para garantir a vaga na fase de grupos da competição. Na primeira partida, na última quarta-feira, na Arena da Baixada, empate em 3 a 3.

O Furacão precisou de 11 minutos no primeiro tempo para furar a defesa e a catimba adversária. Após cobrança de escanteio, o argentino Lucho Gonzalez apareceu para bater forte e marcar o único gol da partida.



Na próxima fase, o Atlético Paranaense entrará no Grupo 4, que tem Flamengo, San Lorenzo e Universidad Católica.

O jogo – O Furacão começou com uma postura ofensiva, tentando pressionar nos primeiros movimentos. Aos três minutos, Nikão cobrou falta na área, Lucho tentou o domínio, mas se atrapalhou e ficou sem a bola. A equipe paraguaia dava pinta de que usaria muita catimba para fazer o tempo passar. Mas, aos 11 minutos, após cobrança de escanteio, a defesa do time da casa cochilou e Lucho Gonzalez apareceu para estufar as redes.

O Capiatá quase respondeu aos 13 minutos, com Gamarra, que invadiu a área e bateu por cima da meta. A equipe Paraguai saiu para o jogo. Aos 18 minutos, após troca de passes, Nogueira arriscou o chute de longe, pela linha de fundo. Mais Noguera, aos 23 minutos, dominando na área e praticamente recuando para Weverton.

Bola rodando pela área atleticana, aos 28 minutos, até sobrar nos pés de Bonet, que mandou para fora, com perigo. Aos 31 minutos, boa jogada de Bonet e cruzamento para Gamarra, que tentou das vezes, ganhando escanteio. Aos 35 minutos, Grafite sentiu lesão e pediu para sair. Luis Henrique foi para o jogo. Pressão do Capiatá nos minutos finais. Aos 44 minutos, Irrazábal cobrou falta, a bola desviou no caminho e bateu a rede, pelo lado de fora.

Depois do intervalo, as equipes retornaram sem novas mudanças. Aos dois minutos, cobrança na área atleticana, Martinez desviou de cabeça e Perez, sem goleiro, mandou para fora. O Capiatá era todo ataque. Aos poucos o Furacão tentava sair do sufoco. Aos nove minutos, Nikão cobrou falta fechada, mas ninguém conseguiu desviar.

A partida ficou mais truncada, com os paraguaios buscando atacar e o Rubro-Negro fechado, esperando para contra-atacar. Aos 16 minutos, Lopez dominou na para, levou para o fundo e cruzou para boa intervenção de Weverton. O Atlético com a bola nos pés tocava bastante, deixando o tempo passar. Contra-ataque em velocidade, Nikão serviu Luis Henrique que, perdeu a bola de frente para a meta.

Os minutos finais foram tensos para os dois lados, já que um gol poderia modificar tudo. Aos 30 minutos, levantamento para Perez, que testou para fora. Aos 35 minutos, bola ajeitada para Martinez, que isolou. Aos 39 minutos, Nikão recebeu na cara do gol e, só com o goleiro na frente, perdeu uma chance incrível. Aos 46 minutos, Perez pegou sobra e bateu por cima da meta.O Rubro-Negro segurou a pressão até o último minuto para garantir a vaga.

DEPORTIVO CAPIATÁ 0 X 1 ATLÉTICO PARANAENSE

Local: Estádio Erico Galeano Segovia, em Capiatá, no Paraguai
Data: 22 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)
Assistentes: Gustavo Rossi e Diego Bonfa (ambos da Argentina)
Cartões amarelos : Gonzalez, Irrazábal (Capiatá); Grafite, Lucho, Pablo, Carlos Alberto, Nikão e Weverton (Atlético-PR)

Gols
ATLÉTICO-PR: Lucho González , aos 11 minutos do primeiro tempo

DEPORTIVO CAPIATÁ: Bernardo Medina; Bonet, Ramón Ortigoza, Cristian Martínez e Néstor González; Noguera (Dante Lopez), Ledesma, Alexis González (Cristian Lopez) e David Mendieta (Dionizio Perez); Irrazábal e Gamarra
Técnico: Diego Gavilán

ATLÉTICO-PR: Weverton; Jonathan, Thiago Heleno, Paulo André e Sidcley; Otávio, Lucho González (Wanderson) e Carlos Alberto (Felipe Gedoz); Nikão, Pablo e Grafite (Luis Henrique)
Técnico: Paulo Autuori

Gazeta Esportiva


texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM