domingo, 26 de fevereiro de 2017

Cada vez mais, partidos brasileiros dificultam saída de filiados

As maquinações dos caciques para não perderem o poder em seus partidos políticos não têm limites. Veja trecho do editorial do Globo deste domingo:

"Neste sentido, é ilustrativa a manobra da Câmara, feita nas sombras, a fim de tentar aprovar, em regime de urgência, projeto de lei para impedir que a Justiça (TSE) aplique a lei eleitoral e casse o registro de legendas, caso tenham rejeitadas as prestações anuais de contas. Significa instituir uma exótica anistia prévia.



Outro dispositivo do mesmo projeto denuncia a maneira sub-reptícia com que agem cúpulas partidárias. Ele permite que se perpetuem comissões provisórias indicadas por dirigentes para intervir em diretórios. Trata-se de perenizar um instrumento ditatorial à disposição dos dirigentes.

(...)

Entende-se por que dirigentes se perpetuam nas direções nacionais de legendas. O PR é um símbolo neste aspecto. Tem todas as seções regionais sob intervenção. É por isso que o dirigente-mor do partido, Valdemar Costa Neto, sem mandato, continua com as rédeas da legenda. Mesmo quando esteve preso em regime fechado, condenado como mensaleiro. O projeto saiu de pauta, mas insistem em votar a parte das comissões." 


O Antagonista

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM