quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Renan comemora decisão do STF e a chama de 'patriótica'

Ministros do Supremo rejeitaram, por 6 votos a 3, liminar do colega Marco Aurélio Mello.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comemorou a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) desta quarta-feira (7) de mantê-lo no cargo, chamando-a de "patriótica".



Os ministros rejeitaram, por 6 votos a 3, liminar do colega Marco Aurélio Mello de segunda (5), que tirava Renan da Presidência do Senado sob a justificativa de que ele, na condição de réu, não está apto a ocupar a linha sucessória.


Os ministros decidiram nesta quarta que ele se mantém no comando do Senado até fevereiro de 2017, quando outro senador será eleito, mas não poderá ocupar a presidência da República. De acordo com a Constituição, o presidente do Senado é o segundo na linha sucessória.

O senador acompanhou o julgamento, que teve início pouco depois das 14h, no gabinete da Presidência do Senado acompanhado de senadores de diversas legendas. Uma hora e vinte após a decisão, deixou a Casa acompanhado apenas por policiais legislativos e seguiu para a residência oficial.

Antes, porém, divulgou por meio da sua assessoria de imprensa uma nota oficial elaborada com a ajuda dos mesmos aliados que estiveram ao seu lados nos últimos dias e com quem assistiu à sessão do Supremo.

"É com humildade que o Senado Federal recebe e aplaude a patriótica decisão do Supremo Tribunal Federal", afirmou o senador.

Estiveram com ele, entre outros, o governador de Alagoas, seu filho, Renan Filho (PMDB), e os senadores peemedebista Romero Jucá (RR), Eunício Oliveira (CE), Rose de Freitas (ES), além do primeiro-vice-presidente da Casa, Jorge Viana (PT-AC), que assumiria o cargo caso Renan tivesse sido afastado em definitivo pelo STF.

Veja a nota do presidente do Senado:
"É com humildade que o Senado Federal recebe e aplaude a patriótica decisão do Supremo Tribunal Federal. A confiança na Justiça Brasileira e na separação dos poderes continua inabalada.

O que passou não volta mais. Ultrapassamos, todos nós, Legislativo, Executivo e Judiciário, outra etapa da democracia com equilíbrio, responsabilidade e determinação para conquista de melhores dias para sociedade brasileira." 


Com informações da Folhapress.
texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM