quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

PF combate fraude em auxílios reclusão, através de operação deflagrada em SE, SC e RJ

Fraude em 90 auxílios reclusão causou prejuízo de mais de R$ 5 milhões. Polícia Federal cumpriu 11 mandados de prisão e um de condução coercitiva.

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (7) a ‘Operação Natividade’ em Sergipe. A força-tarefa desarticulou uma organização criminosa que desde 2013 praticava fraudes relacionadas ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).


De acordo com informações da Polícia Federal, foram cumpridos 11 mandados de prisão preventiva, 1 mandado de condução coercitiva (quando a pessoa é levada a depor) e 17 mandados de busca e apreensão em Sergipe e também nos estados de Santa Catarina e Rio de Janeiro.

“A quadrilha aliciava detentos e também pessoas que nunca foram presas, e simulava a condição de reclusão. As pessoas permitiam a utilização dos dados delas para conseguir a concessão do benefício fraudulento”, ressalta o delegado Walter Portugal Júnior.

A investigação identificou irregularidades em 90 benefícios de auxílio reclusão que causaram um prejuízo de mais de R$ 5 milhões. Os criminosos utilizavam documentos falsos. A operação impediu o pagamento de mais R$ 2 milhões de 30 novos benefícios que já haviam sido concedidos.

“A gente começou a desconfiar, pois houve um crescimento dos benefícios. Tiveram valores altos, saques retroativos de R$ 100 mil. Diante da desconfiança, acionamos a Polícia Federal”, afirma Raimundo Brito, gerente executivo do INSS de Sergipe.

O nome da operação faz alusão aos nascimentos que eram forjados pela quadrilha, para requerimento dos benefícios. Os investigados serão indiciados pela prática dos crimes previstos no artigo 2º, caput, da Lei n. 12.850/13 e no artigo 171, caput, c/c §3º, do Código Penal, cujas penas máximas são de oito e cinco anos, respectivamente.

As investigações tiveram o apoio da Assessoria de Pesquisa Estratégica de Gerenciamento de Riscos (APE/GR), da Previdência Social. O Grupamento Tático Aéreo (GTA) da Polícia Militar de Sergipe (PM/SE) também prestou apoio, durante a deflagração.

Com Informações do G1 SE

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM