domingo, 11 de dezembro de 2016

Em dia de homenagens, Santos bate América-MG e fica com o vice

O Santos é o vice-campeão brasileiro de 2016. Em tarde de domingo recheada de homenagens à Chape e ao agora aposentado Elano, o Peixe não precisou fazer muito esforço para bater o já rebaixado América-MG por 1 a 0, na Vila Belmiro, na última rodada da competição.
Beneficiado pelo tropeço do Flamengo, que só empatou com o Atlético-PR, na Arena da Baixada, o alvinegro garantiu a segunda colocação do nacional.

Com o único gol da partida marcado por Ricardo Oliveira, aos três minutos do segundo tempo, o Santos alcançou os 71 pontos e igualou o Rubro-Negro. Porém, a equipe de Dorival Júnior tem uma vitória a mais, e por conta disso, ficou com o vice do Brasileirão e garantiu R$ 3,4 milhões a mais na conta. O América-MG, por sua vez, se despediu com mais uma derrota e a lanterna do torneio nacional.

Agora, os santistas entram em férias e só voltam a treinar no próximo dia 11 de janeiro, no CT Rei Pelé, visando as disputas do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América, competição que o clube não joga há quatro anos. O Coelho, que havia liberado 14 atletas, também entra em período de descanso e tentará voltar à primeira divisão do Brasileiro na próxima temporada.

Muitas homenagens e pouco futebol


Antes da bola rolar, a Vila Belmiro se encheu de emoção para homenagear as vítimas da tragédia com o avião da Chapecoense. Inicialmente, o telão do estádio passou vários gols do Santos na voz do narrador Deva Pascovicci, que foi uma das vítimas e era santista de coração. Na sequência, o índio Carlinhos, mascote do clube de Santa Catarina, entrou no gramado e saudou a torcida alvinegra.

Das arquibancadas saíram gritos homenageando o time de Chapecó, além do meia Cléber Santana e do zagueiro Neto, que já passaram pelo Peixe. Por fim, os jogadores do alvinegro, que vestiam uma camisa com os escudos da Chape e do Atlético Nacional, se juntaram a jornalistas e aos atletas do América-MG. Eles se abraçaram e no centro do gramado, fizeram um minuto de silêncio.

Se antes da partida começar a emoção tomou conta da Vila, o mesmo não pode ser dito quando a bola rolou. Mesmo trocando passes com facilidade e sendo pouco assustado pelo remendado Coelho, o alvinegro mostrava muita apatia e parecia que já havia antecipado as férias.

O jogo era tão monótono na Vila que a única chance que realmente animou a torcida na primeira etapa aconteceu apenas aos 31 minutos. Em boa movimentação, Victor Ferraz avançou e cruzou da direita. O colombiano Copete se antecipou a zaga e cabeceou na trave. No rebote, Zeca apareceu livre, mas bateu para fora.

Adeus de Elano e vice garantido

Após o apito de Leandro Vuaden encerrando o primeiro tempo, o Urbano Caldeira voltou a ser palco de homenagens. Desta vez, o meia Elano, que fazia sua despedida como jogador profissional, foi até o centro do gramado e acompanhou um vídeo com vários amigos desejando sorte em sua nova carreira de auxiliar técnico. O jogador ainda teve seu nome cantado pela torcida alvinegra durante o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o Peixe quebrou a morosidade inicial e foi para cima do América-MG. Tanto que logo aos três minutos, Copete avançou na lateral esquerda e cruzou na medida para Ricardo Oliveira. O atacante subiu mais que a zaga rival, escorou para o gol e abriu o placar na Vila Belmiro. Na comemoração, o artilheiro deu uma ‘flechada’ no ar, prestando mais uma homenagem à Chape.

Após ficar na frente do marcador, o alvinegro apenas administrou o jogo. O Coelho, por sua vez, mostrava pouco poder de reação e não assustava o Santos. Com o resultado praticamente garantido, o técnico Dorival Júnior promoveu a substituição que todos queriam ver. Aos 33 minutos, o meia Lucas Lima saiu para a entrada de Elano, que pisava no gramado da Vila pela última vez como jogador profissional.

A entrada do ídolo, porém, pouco alterou o andamento do jogo, que seguiu monótono até o último apito do árbitro Leandro Pedro Vuaden, que garantiu o Santos na segunda colocação do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 0 AMÉRICA-MG


Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 11 de dezembro de 2016, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS/FIFA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Mauricio Coelho Silva Pena (RS)
Cartões amarelos: AMÉRICA-MG: Juninho.
Público: 7.531
Renda: R$ 209.660,00


GOL

SANTOS: Ricardo Oliveira, aos 3 minutos do segundo tempo.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Yuri e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima (Elano); Vitor Bueno (Jean Mota), Copete (Rafael Longuine) e Ricardo Oliveira.

Técnico: Dorival Júnior

AMÉRICA-MG: Glauco; Hélder, Messias, Roger e Diego; Juninho, Cristian, Renato Bruno e Guilherme Xavier (Nixon); Osman e Michael.

Técnico: Enderson Moreira

Informações do Gazeta Esportiva

texto

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM