sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Servidores da PMA estão dispostos a fazer nova greve

Os servidores da Prefeitura de Aracaju, da área de saúde, e os professores aposentados acamparam em frente ao Tribunal de Contas do Estado na manhã desta quinta-feira, 27, para acompanhar os desdobramentos quanto ao atraso dos salários na esperança de que os conselheiros aprovariam medida cautelar com o bloqueio das contas da prefeitura para obrigar o prefeito a regularizar a folha de pagamento, mas saíram frustrados. 

O procurador de contas Sérgio Monte Alegre defendeu medida mais radical, como o bloqueio das contas da prefeitura para obrigar o pagamento dos salários, mas foi voto vencido.

Os servidores ainda não receberam os salários do mês de setembro e não há previsão para receber a remuneração referente ao mês de outubro, que se encerra na próxima semana. Os sindicalistas alertam que retornarão ao trabalho assim que os salários de setembro forem pagos, mas estão dispostos a retornar à greve a partir do quinto dia útil de novembro caso não haja definição quanto aos salários de outubro.

Nesta quinta, a prefeitura anunciou o pagamento dos salários dos servidores da saúde cujos são iniciados com as letras R e W. “Mas a greve continua porque o pagamento não saiu completo”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sintasa), Augusto Couto.

Paralelamente, o Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema) está fazendo um completo levantamento das estruturas das escolas municipais, cujo relatório será encaminhado para o Ministério Público Estadual, segundo informações do presidente Adelmo Meneses. “Estamos visitando todas as 75 escolas com apoio da OAB e do Tribunal de Contas”, diz.

Fome

Na área de educação, os salários só foram pagos aos professores que estão na ativa, mas nenhum aposentado recebeu a remuneração de setembro. “Em 2014, a prefeitura começou a atrasar um ou dois dias, mas neste ano os atrasos ocorrem com frequência e até agora não temos previsão de receber os salários”, diz a diretora do Sindipema Maria Magna Araújo Santos.

Os sindicalistas relatam situação preocupante. De acordo com informações de Augusto Couto, há agente de saúde com dificuldades financeiras sem condições de comprar alimentos. “Vivendo da solidariedade dos colegas e amigos”, conforme destacou o sindicalista.

O Portal Infonet tentou ouvir mais uma vez a prefeitura de Aracaju. Assessores da Secretaria de Comunicação Social do Município se comprometeram a enviar uma resposta, mas até o momento não se manifestaram.

Informações de Cássia Santana, Portal Infonet

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM