sábado, 29 de outubro de 2016

População da Zona Norte comemora entrega do novo complexo viário de Aracaju

Investimento de mais de R$ 26 milhões facilitou mobilidade na capital e reconfigurou região da zona norte da capital.

Entrar ou sair de Aracaju agora ficou mais fácil graças ao novo acesso à capital sergipana, inaugurado na noite desta quinta-feira, 27, pelo governador Jackson Barreto. O novo complexo viário, formado pela implantação da avenida Doutor Lauro Porto, reconfiguração da avenida Santa Gleide e a construção da ciclovia Djalma Cruz, interliga o entroncamento das BR’s 101 e 235, no município de Nossa Senhora do Socorro, às avenidas Santa Gleide, Maranhão e Coelho e Campos, formando um novo corredor em direção ao centro de Aracaju.



Quem se dirigir à capital pela Rota do Sertão, via BR-235, ou pela BR-101 Norte, encontrará a nova via a partir do viaduto de acesso a Itabaiana. Foram R$ 26.946.880,81 investidos, recursos do programa Sergipe Infraestrutura, na intervenção de mobilidade urbana, que reconfigurou a Santa Gleide; possibilitou que pedestres e ciclistas, através da ciclovia Djalma Cruz (Vovô do Pedal), tivessem tranquilidade ao transitar; a redução do fluxo das avenidas Osvaldo Aranha e Tancredo Neves, e, ainda, segurança, comodidade e qualidade de vida para a população sergipana.

Para Jackson Barreto a avenida Doutor Lauro Porto é um marco para a mobilidade em Aracaju. “Essa nova via é um grande instrumento de mobilidade urbana. É uma avenida moderna, que irá facilitar o trânsito de toda zona norte da capital, da área do conjunto Bugio, bairro São Carlos, Santos Dumont, e também a vinda de quem vem do Agreste e norte do estado. Será um acesso a mais ao centro da cidade e é um cartão de referência na nova e moderna Aracaju”, destacou.

A empregada doméstica Mary Oliveira comenta que toda a região do entorno da avenida foi reconfigurada com a execução da obra do novo acesso a Aracaju. Ela conta que quando comprou a casa nas imediações havia muito buraco, vegetação mal cuidada e lama. “Nem parecia que morava na zona urbana. Na época eu disse que antes de morrer eu ia pisar na pista e meu vizinho não acreditou. E agora ela está aqui construída e linda. Amei. Era um sonho ver isso desse jeito. Antes ia para a igreja e sentia muito medo. Depois da avenida, ando até de noite e dia desses retornei para casa por volta das 22h. Essa iniciativa do governo foi boa. Prefiro morar aqui que em outros lugares. Para mim, é um privilégio”, destacou.



Dentre os benefícios da construção da avenida Lauro Porto, está a oferta de espaço para a prática de atividades físicas, valorização de terrenos e casas nos arredores, além de estímulo ao comércio local, devido a facilidade de acesso. O sapateiro Genival de Jesus destaca esses ganhos e acredita que terá mais clientes e, consequentemente, maior geração de renda com o seu negócio.

“Meu ponto de trabalho foi valorizado, e essa pista nova facilita a vida de muita gente, inclusive, com relação à segurança”. Para a comerciante Lúcia Rivanda Mota, que atua nas imediações da avenida há 15 anos, só há motivos para celebração. “Valeu a pena esperar por essa obra boa do governo. Saímos da lama e a pista nova está ótima, com tudo sinalizado”.

Com relação à prática de atividade física, a dona de casa Maria do Carmo Santos é uma das beneficiárias. “Antigamente não andávamos por essa área, pois dava medo. Mas já posso vir todos os dias, pois está seguro. Não imaginava que aqui fosse ficar desse jeito. O acesso está melhor e eu, que costumo viajar para o interior, já até a utilizei. Minha nota é 1.000. Está bom demais. Valorizou demais a região”.


A avenida Lauro Porto tem 4km de extensão, com 28m de largura. São duas pistas duplas com quatro faixas de rolamento com largura de 3,50m, cada, e acostamentos de 2m. Canteiro central com ciclovia, além de passeios laterais com 2m, cada.

Homenagens


A nova avenida celebra o médico e professor universitário Lauro de Brito Porto, que atuou como cirurgião, sócio benemérito da Sociedade Médica de Sergipe e foi um dos fundadores, e professor titular da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe, integrando, inclusive, o Conselho Diretor. Filho do município de Nossa Senhora das Dores, Lauro nasceu em 1911 e faleceu em 2010.

Já a ciclovia homenageia Djalma Cruz, conhecido como Vovô do Pedal, pelo incentivo à prática esportiva. O aracajuano nasceu em 1945 e faleceu em fevereiro deste ano, vítima de um atropelamento na saída da capital quando pedalava com os amigos do grupo do qual se tornou membro emérito, Os Zuandeiros. Ícone do ciclismo sergipano, com 35 anos de dedicação ao esporte, sua morte mobilizou os praticantes sergipanos da modalidade que organizaram abaixo-assinado solicitando que a nova ciclovia recebesse seu nome.

Agência Sergipe de Notícias

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM