terça-feira, 25 de outubro de 2016

Em encontro com sindicalistas, Edvaldo promete acabar com a terceirização da saúde em Aracaju

O candidato a prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), se comprometeu, nesta segunda-feira (24), em acabar com a terceirização em setores essenciais na Saúde. Em encontro com o Sindicato dos Enfermeiros, ele reafirmou ser contrário às Organizações Sociais na administração. 

Na oportunidade, Edvaldo reforçou que a Saúde será prioridade na sua gestão, que irá realizar concurso público e que regularizará o pagamento dos salários dos servidores ainda em janeiro de 2017.

“Eu tenho um compromisso especial com a Saúde, porque não há bem mais importante que a vida de cada pessoa. Durante a nossa gestão, minha e a de Marcelo Déda, fizemos um belo trabalho para a saúde de Aracaju. Nunca se fez tanto para a área. Investi 19% do orçamento do município em Saúde, muito acima do que determina a lei. Já na gestão de João Alves, há um desmonte completo da Saúde”, afirmou.

“Defendo uma Saúde pública. No seu núcleo central não pode haver terceirização. Não concordo com as Organizações Sociais (OSs) na Saúde. Faremos concurso público. As Organizações Sociais que tiverem na Saúde de Aracaju estão com os seus dias contados. Iremos rever estes contratos”, reiterou.

Secretário

No encontro, Edvaldo afirmou que irá ampliar o diálogo com todos os profissionais que compõem a Saúde Municipal. Neste sentido, ele voltou a afirmar que escolherá para o comando da Secretaria de Saúde um gestor técnico, com “capacidade de liderança e diálogo” e sem relação política com partidos, nem indicado por políticos.

“Não fiz negócio com nenhum partido que me apoia para ocupação de secretarias. Comandar a Secretaria da Saúde será uma tarefa hercúlea, pois não será fácil resolver os problemas da pasta”, disse.

Salários

Em relação aos salários dos servidores, o candidato disse que “fará todo o esforço necessário” para regularizar o pagamento já no primeiro mês da sua gestão.

“Tenho responsabilidade com os servidores públicos. Vamos cortar gastos, rever contratos. Toda dívida que for deixada pela atual gestão no que diz respeito a salários dos servidores será paga”, anunciou.

Reivindicações

Quanto às demandas apresentadas pelos enfermeiros, como a jornada de 30 horas e a definição dos critérios de desempenho, Edvaldo afirmou que são “bandeiras justas”.

“Assumo o compromisso de dialogar com toda a categoria para chegarmos a um consenso. O que me move é o sentido de deixar a cidade em melhores condições, com os serviços básicos funcionando e devolver a autoestima dos servidores”, disse.

Informações de Valter Lima, da assessoria do candidato

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM