sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Belivaldo é entrevistado por George Magalhães no ‘A Hora da Verdade’ da 103 FM

Falando sobre a votação das emendas parlamentares em Brasília, Belivaldo informou que o governo estadual não foi convidado para participar da reunião. Mas o estado, mesmo não sendo convidado, encaminhou devidamente o bloco de emendas necessárias do interesse dos sergipanos.

Sobre as emendas parlamentares

Na visão do vice-governador, houve articulação no processo de votação das emendas de bancada apresentadas pelos parlamentares. O estado apresentou o bloco de emendas do interesse dos sergipanos para apreciação dos parlamentares. Foram escolhidas aquelas que obtiveram maior votação da bancada sergipana.

As emendas sugeridas pelo governo do estado foram: recursos para construção do Hospital do Câncer de Sergipe e a para construção do Campus da UFS no Sertão sergipano, ambas não foram aprovadas pela maioria dos deputados e senadores. Receberam aprovação da maioria, liberação de recursos financeiros para investimentos na Codevasf ( Companhia de Desenvolvimento Do Vale São Francisco) e também a liberação de recursos em Aracaju. De acordo com informações do vice-governador, a Codevasp atualmente tem forte influencia do senador Valadares, pois o comando da empresa teve sua indicação.

Sobre declarações de Valadares

Belivaldo também respondeu indagações dos ouvintes. Sobre as declarações do senador Antônio Carlos Valadares, o chamando de traidor e covarde, ele disse: “Não sou valente, mas covarde também não sou”. O vice-governador argumentou ainda, que não houve nenhuma traição sua ao senador Valadares. Explicou que quando foi comunicado da decisão que ele e o grupo deixaria a base do governo estadual, de imediato também respondeu que não o acompanharia. “Ele não estava se sentido bem, fazendo parte do governo, o deixou. como eu estava e continuo me sentindo bem no governo, permaneci, e pronto”, destacou Belivaldo.

Chagas expressou que não podia deixar um projeto de governo que ajudou bastante em sua formação, onde é bem tratado pelo governador Jackson Barreto e por demais que fazem parte do grupo, além de participar diretamente da gestão.

Parecer do procurador Sérgio Monte Alegre

Interrogado por George Magalhães, sobre o parecer jurídico do procurador Sérgio Monte Alegre do TCE ( que questiona as contas do ex-prefeito Edvaldo Nogueira), Belivaldo respondeu: “Estão fazendo uso político do parecer do procurador”. Parecer não é lei, mas sim a opinião e a interpretação do Dr. Sérgio, que cabe contestação e recurso. Por conta do parecer, ninguém pode afirmar que o gestor é desonesto ou cometeu crime algum”. O vice-governador também avaliou que entranhou esse posicionamento feito pelo procurador, exatamente no atual momento eleitoral. Segundo ele, deixa suspeição para a opinião pública.

Acompanharam o vice-governador Belivaldo Chagas durante a entrevista, Sales Neto (secretário de comunicação), e os diretores Marcos Benigno e Givaldo.

Da Redação do Portal A Hora da Verdade

Nenhum comentário:

LEIA TAMBÉM